Português – Nível Superior

Prepare-se com questões de Português

  1. Código da questão: Q1114Ca

    Clique aqui e leia o texto relacionado com a questão

    Assinale a alternativa que apresenta, correta e respectivamente, as circunstâncias expressas pelos termos em destaque nos trechos a seguir.

    Um projeto de lei que tramita na Câmara... (1.º parágrafo)
    ...alimentos com muito sal, gordura ou açúcar deveriam ser vetados... (2.º parágrafo)
    ...deve ser incentivado, mas não imposto. (4.º parágrafo)
    A gente sente falta, mas a escola fez bem. (último parágrafo)
  2. Código da questão: Q988Ca
    Dados os períodos seguintes,

    I. Uma missão semelhante gastaria não menos que US$ 500 milhões, enquanto o Sunrise não precisou que se investisse nele além de US$ 80 milhões.

    II. Que os anos de ditadura militar, quando o Congresso permaneceu fechado, nos sirva como exemplo.

    III. Não se pode comparar ambos. IV. Alguns, de tão devastados pelo sofrimento, nem permite que a única arrumadeira autorizada a entrar na área arrume suas camas.

    quais violam a concordância verbal?
  3. Código da questão: Q1677Ca

    (Ferreira de Moura - 2012 - SEPLAG) Releia o excerto: “ Muito já se falou e nas próximas três semanas falaráse ainda mais sobre a reunião [...]” , nele, a função sintática do “ se” é:

  4. Código da questão: Q1112Ca

    Clique aqui e leia o texto relacionado com a questão

    De acordo com o texto,
  5. Código da questão: Q1678Ca

    (Ferreira de Moura - 2012 - SEPLAG) Observe o trecho: “ No aspecto diplomático, os chineses vem fazendo o que bem entendem
    e é um dos países que mais investem nas economias pobres.” De acordo com o Novo Acordo Ortográfico firmado entre os países lusófonos em 29 de setembro de 2008 e em vigor desde 1º de janeiro de 2009, que estabeleceu novas regras para a nova ortografia, podese afirmar em relação à ausência do acento circunflexo no verbo que está:

  6. Código da questão: Q992Ca
    Vivia longe dos homens, só se dava bem com os animais. Os seus pés duros quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia. A pé, não se aguentava bem. Pendia para um lado, para o outro, cambaio, torto e feio. Às vezes utilizava nas relações com as pessoas a mesma língua com que se dirigia aos brutos exclamações e onomatopeias. Na verdade, falava pouco. Admirava as palavras compridas e difíceis da gente da cidade, tentava reproduzir algumas, em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez perigosas (Graciliano Ramos, Vidas secas).

    Em geral, o texto de Graciliano Ramos
  7. Código da questão: Q1116Ca
    Assinale a alternativa cujas palavras preenchem, correta e respectivamente, o texto.

    A professora apresentou a um aluno a seguinte tabela nutricional de um produto:


    E recomendou:
    ___________________  a análise dessa tabela e me responda se é um produto benéfico para quem necessita ingerir muitas fibras.

    Ao _______________ a tabela, o aluno concluiu que não, pois a porcentagem de fibras era de 0%.

    Se a pessoa ___________________ uma dieta com muitas frutas e verduras resolverá seu problema, sugeriu ele.

  8. Código da questão: Q1793Ca

    (Ceperj - 2012 - Degase) O vocábulo que é um pronome relativo quando substitui palavra já enunciada. O exemplo do texto no qual o vocábulo que se classifi ca como pronome relativo está em:

  9. Código da questão: Q1792Ca

    (Ceperj - 2012 - Degase) “É forçoso reconhecer que razão assiste ao magistrado.”
    A frase acima exemplifi ca um uso mais formal da língua, escolhido
    pelo autor deste texto, que foi originalmente publicado em uma
    seção voltada para questões de Direito e Justiça de um jornal.
    No contexto da frase, o signifi cado do verbo “assistir” é:

  10. Código da questão: Q989Ca
    Vivia longe dos homens, só se dava bem com os animais. Os seus pés duros quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia. A pé, não se aguentava bem. Pendia para um lado, para o outro, cambaio, torto e feio. Às vezes utilizava nas relações com as pessoas a mesma língua com que se dirigia aos brutos exclamações e onomatopeias. Na verdade, falava pouco. Admirava as palavras compridas e difíceis da gente da cidade, tentava reproduzir algumas, em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez perigosas (Graciliano Ramos, Vidas secas).

    Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. Por esta referência, a pessoa descrita por Graciliano Ramos